EMESP

MENU

Agenda com gestores holandeses fortalece relações com Conservatório de Amsterdã

12 de julho de 2013

Com parceria iniciada ano passado, Santa Marcelina Cultura possibilita aos alunos do Guri convívio com músicos de uma das mais importantes escolas de música da Europa

Uma comitiva holandesa desembarcou em São Paulo na última semana de junho para conhecer de perto as atividades pedagógicas do Programa Guri e EMESP Tom Jobim. Integravam o grupo a Ministra de Educação, Cultura e Ciência da Holanda, Jet Bussemaker, a vice-prefeita de Amsterdã Carolien Gehrels, a diretora do Conservatório de Amsterdã Janneke van der Wijk, além de empresários daquele país.

Professores do conservatório holandês e da Concertgebouw Orquestra, que leva o título de “melhor do mundo”, foram escalados para realizar master classes para os alunos dos dois programas. Além das aulas, a comitiva acompanhou uma apresentação de três Grupos Infantis e Juvenis no Polo CEU Jambeiro: Coral Infanto-Juvenil, Camerata de Violões e Banda Sinfônica Infanto-Juvenil.

O grupo que visitou o Jambeiro ficou impressionado com o trabalho desenvolvido pelo Programa. A ministra Jet Bussemaker gostou dos concertos e ficou um bom tempo conversando com eles: “é muito estimulante ver a energias desses jovens”, contou.

De acordo com Janekke, o intercâmbio propicia um aprendizado mútuo e por esse motivo tem grande valor. “Nossos músicos voltam para casa com a experiência de ensinar jovens em um projeto educacional como o Guri. Isso é inspirador porque não temos algo parecido em nosso país”, afirma. “Temos projetos de abordagem social, mas são de curta duração. É muito importante investir na educação musical para crianças”, coloca.

O violista do Conservatório de Amsterdã Sven Arn Tepl, que ministrou uma das master classes, se disse impressionado em ver “como os alunos são famintos por absorver todas as informações e também são interessados em dicas para se aperfeiçoar”. O músico notou especialmente em dois alunos um grande potencial para competir por vagas em bons conservatórios europeus, “se continuarem no caminho que estão seguindo”.

Para ele, a parceria com a Santa Marcelina Cultura pode levar ao conservatório holandês um pouco do conhecimento em trabalhar “desde a base até um nível próximo do bachalerado”. “Fiquei muito feliz de saber do início dessa colaboração porque eu vejo que há muitas possibilidades a serem exploradas”.
O diretor artístico-pedagógico Paulo Zuben, um dos responsáveis pelo início do relacionamento com o conservatório, ressalta que a parceria “tem tudo para gerar bons frutos” e que um deles pode acontecer em breve. Trata-se do violinista Lucas Bernardo da Silva, aluno da EMESP, que recebeu em maio uma carta de  um convite para realizar prova no centro de ensino holandês.